domingo, 26 de dezembro de 2010

Ansiedade

Isso mata por dentro. E poderia matar tudo em mim se eu não me sentisse tão sã.
Apesar dessa insensibilidade ter me atacado como um tufão em um dia quente, eu sinto como se já tivesse um pé aqui antes, sinto-me em casa.


C., foi muito em muito pouco tempo, acho que me apavorei por não saber se era tudo o que eu queria ser, principalmente ouvindo outros falarem e só falarem sobre você.
E., você arruinou todas as minhas lembranças, mas eu só culpo você por não ter me amado o suficiente naqueles dias.
S., no fundo, eu acho, sempre soube que você continuaria voltando, se não por mim, pelo destino. Isso te torna mais real do que poderia um dia chegar a ser.

Nenhum deles vai ler e se lessem, acho que não saberiam o verdadeiro significado.
Mas acho que eu me entendo quando digo, mais pra mim mesma do que pra todos, que a ansiedade só não me arruinou contigo, S. E você é o único que eu sei que vai voltar, sempre. Pra mim, ou que seja... Você voltando.

G.

Um comentário:

Fabioc disse...

G. acho que a ansiedade mata qualquer um... E há quem goste de ficar ansioso! Eu detesto!

Legal sua atitude de manter na escuridão os nomes dos elementos. Uma pessoa menos equilibrada teria escancarado!

To sempre passando aqui, só que nem sempre dá pra comentar...
F.