quarta-feira, 14 de março de 2012

V

As estrelas que percorrem o céu do seu ser, nada mais me faz querer ser como é determinado para sermos, assim tão opacos, tão cansados de sermos o que estava predestinado a ser. Vazios.

A sua caricatura na parede do meu quarto, o teu sorriso estampado nas minhas mil mentes. Tudo é como semente. Tudo é como espelho. Reflexo de um presente, de uma vida mal passada à ferro, mal esticada aos erros.
Quero a presença de um ser mais indomável, mas antes de tudo, você.

Por que não abre logo essa porra de porta? Me deixa entrar, amor.

2 comentários:

Lorena Rocco disse...

Amor. Tô precisando de um pouco mais, aliás, nunca é demais!

--
Oi Giuliana!
Tudo bem por aqui, na correria e vc? Como andas?
Faz tempo mesmo! Te espero mais vezes!

=*

Lorena Rocco disse...

Tem meme para ti no Alices ;)