sexta-feira, 19 de junho de 2009

Use Somebody

Eu andava lentamente, talvez tentando encontrar a minha própria direção, mas só o que eu via eram faces e mais faces de desgostos e repressões, mas eu sabia que teria de usar alguém para chegar até onde eu queria. Para conseguir me encontrar eu teria de encontrar qualquer pessoa que passasse na rua atras de alegrias rotineiras ainda escondidas sobre o nevoeira matinal.
Eu sabia que não seria fácil. Mas então, eu te vi.
Pisquei rapidamente e levantei a voz meio a multidão apressada.

'Eu estive vivendo num mundo obscuro e sem sentido'
'Porque diz isso pra mim?'
'Pode me dizer quem sou?'
Perplexo, ele não soube o que dizer.
'Eu não sei quem eu sou', disse olhando diretamente em seus olhos.
Ele virou as costas e murmurou.
'Eu também não sei quem sou'

E foi embora.
Ao contrário de mim, ele fugia da verdade de ser quem ele era.
Sorri e disse a mim mesmo 'Uma das minhas caracteristicas é não ter medo daquilo que me assusta'. Acordei.

3 comentários:

Janaína Oliveira disse...

nossa que demais! amei esse post, sério :)
ah então sobre o filme, ele super foge do livro mesmo, tenho os 3 livros e to super ansiosa pra traduzirem o amanhecer logo!
é então, mais pelo q eu vi pelo trailer o diretor ja viajou denovo, mais tá né, fazer oq?! :s
ai nem me fala viu... hahaha

bjão!

Lari. disse...

Bacana!
Não devemos ter medo daquilo que nos assusta. Não devemos ter medo de descobrir quem somos.
Entender a nós mesmos é complicado. Deveria ser uma tarefa interessante e não assustadora!
;)

R.Vinicius disse...

E faz bem, não deve temer. O medo deforma a forma das situações. Adorei a história, e o modo como você a escreveu.

Abraço,

R.Vinicius