segunda-feira, 10 de agosto de 2009

Luzes

É como nos cinemas. Duas pessoas. Um lugar em comum para irem. Um amor secreto.
Na verdade, ela nem sabe como conseguiu se conter e não se jogar para ele como se fosse a última pessoa do mundo, ele era sempre tão fantástico, mesmo acompanhado de longe... e por mais que ela tentasse, ele ria, ria de tudo, ria da vida.
Agora eles estão tentando se conter para não perderem a chance de viver enquanto esperam ansiosos para o momento de um lugar em comum, de um olhar incomum para mentes tão novas e uma paixão tão irresistivel.

' Era como se o mundo fosse partido em dois, eu aqui, ele lá. Como pode ser? Como pode a minha razão me prometer coisas tão certas para algo tão imprevisível? Eu queria que você estivesse aqui, você queria que eu estivesse lá, com você. '

2 comentários:

druscilah disse...

nheee bem sei como ela se sente...

tbm ja me senti assim...

como se borboletas voassem no meu estomago....

faziam uma cosquinh gostosa e me deixavam feliz... queria q aquela sensação durasse a vida inteira...

Lari. disse...

Eu vivi isso... Eu aqui e ele ali. Parecia que um mundo inteiro separava a gente, equanto nenhum dos dois conseguia definir o motivo da distância. Eu decidi deixar a vida seguir o proprio rumo. O que é nosso ta guardado, mas hoje, o "nosso" me define com um outro alguem.