sábado, 1 de janeiro de 2011

Sombra

Qual seu nome? - Perguntou, claramente frustrada, a menina.
Tenho o nome que quiser, -respondeu a sombra na parede fria e pálida - É só me falar o que tenho que ser.
Mas a menina não queria que a sombra fosse nada, gostaria que fosse apenas uma sombra e como se atendesse seu pedido, a sombra permaneceu sombra em silêncio. Após minutos encarando aquilo como se estivesse louca, resolveu verificar sua sanidade e por fim, disse:
- Calou-se, ótimo...
- Não calei, estava apenas esperando sua resposta - argumentou a sombra, na defensiva.
- Não quero que fales...
- Se realmente não quisesse, nem falaria comigo de princípio... Veja os fatos, você precisa de alguém para conversar e aqui estou...

A menina considerou o argumento, encostou sua cabeça na parede e deu início a uma longa conversa com a sombra. Passadas talvez duas horas em que se encontrava perdida meio a conversas interessantissimas com a sombra, sua mãe a encontrou e ficou observando a menina, que não havia notado a presença materna.
A mãe ficou alguns, de acordo com sua mente, longos minutos vendo aquela prosa e então resolveu pronunciar-se.

- Pare de falar sozinha e entre em casa, a janta está na mesa.

____________________________


Só porque todos batemos longos papos com nós mesmos e quando vemos alguém fazendo isso em voz alta, o chamamos de loucos. (:

4 comentários:

Sílvia disse...

É uma grande verdade :P
E quantas vezes precisamos de falar com nós mesmos e não temos tempo para isso?

Fabioc disse...

Papos internos muitas vezes são mais úteis que muitos diálogos ou conversas coletivas.
Ahh como é bom conhecer a sim mesmo!

V¡ии¡¢¡µs ツ disse...

um post mais criativo q outro! parabens design muito bonito! ve aee:


Site da NET

CHARPS disse...

não tem nada melhor do que conversasr consigo mesma