terça-feira, 22 de setembro de 2009

Ironia da vida

Da janela ela observava a vida levando consigo uma tempestade de sonhos, seria mais fácil para todos se a vida não interferisse tanto em nossos pensamentos. Pensando em algo, mas a vida nos impede, nos mostrando os possíveis e impossíveis de algo que ainda nem começou a ser completado.
Não confiar nele seria um grande absurdo, a partir da sinceridade que ela vê em seus olhos, não poder confiar em mais nada, seria um tremendo fim de mundo.
A vida nos salva de grandes confusões, mas quando é pra ser sincera, ela não sabe como ser.
Ironia dela, só pode.
_

O que você diria se eu te falasse que sou uma máquina de ilusões? Eu construo, eu mesma, grandes edificios e depois os destruo com as mãos, pés e pensamentos.
Posso ser fria como gelo, quente como fogo. Posso ser tudo e tambem nada. Se com a vida não se brinca e ela é uma grande ironia, porque levarmos a sério isso?
Eu não vou me permitir levar a sério tudo o que disse, eu não vou me permitir não arriscar. Você bem sabe que quem canta não pode ter medo de encarar tudo de frente. Eu espantei meus males, só vou esperar você se mostrar como você é e não como alguém que quer ser.
Se não é tão dificil assim, por que insistir em deixar pra trás?

Eu quero mais vida, sua e minha.

3 comentários:

Thalisson Teixeira disse...

estou seguindo tbm!!!

Sucesso.

Brunna disse...

Estou te seguindo. Gostei muito do blog e esse post está maravilhoso. "O que você diria se eu te falasse que sou uma máquina de ilusões? Eu construo, eu mesma, grandes edificios e depois os destruo com as mãos, pés e pensamentos." Amei :)
Beijos

Brenda Maciel disse...

"Se com a vida não se brinca e ela é uma grande ironia, porque levarmos a sério isso?"

Sabe, esse é exatamente o problema daqueles que não buscam seus propósitos existenciais. Daqueles que se limitam às provetas e tubos de ensaio. Daqueles que choram porque não possuem mais VONTADE de acordar.

Daqueles que puxam o gatilho baseados no PONTO depois da frase: A vida começa e termina aqui.

Mas nao tem ponto. NÃO TEM FIM... :)

belo texto.